ArCHITECTUREArchitecture_1.html
Urban DESIGNUrban_Design.html
DesignDesign.html
PHOTOGRAPHYPhotography.html
DRAWINGDrawing.html
ContactContact.html
ABOUTAbout.html
Urban_Design.html
Design.html
Architecture_1.html
Photography.html
Drawing.html
Contact.html
About.html
Architecture_1.html
../pt/Moradia_Unifamiliar_Largo_Combatentes_2.html

URBAN DWELLING

Ovar · portugal

2018 - 2019

Virtual Model · Southwest facade

Section · Topographical adaptation

DETAIL PLAN../pt/Moradia_Unifamiliar_Largo_Combatentes_2.html
EN
PT../pt/Moradia_Unifamiliar_Largo_Combatentes_1.html

URBAN INTEGRATION

Proposal in the urban context

Ground floor plan · Public space level

First floor plan · Backyard level

Second floor plan

Roof plan

THE BUILDING

            Temos o dever de preservar a identidade do espaço urbano, onde edifícios com um carácter e uma escala muito própria constituem um património cultural singular, que se pretende valorizar. Em simultâneo, devemos ainda evitar falsos históricos e marcar uma intervenção contemporânea enraizada nos valores do conjunto urbano preexistente e na cultura atual.

            Quer o tipo de edifício proposto quer o alçado procuram integrar-se na complexa envolvente – em termos de topografia, escalas, cérceas, alinhamentos, tipologias e linguagens arquitectónicas – dando origem a esta proposta de organização da habitação que se pretende edificar.

            Procurou-se resolver a relação com a topografia, adequar o tipo edificado à vocação destas áreas como bem caracterizadas no Plano Director Municipal de Ovar e ao programa funcional da habitação, e projetar alçados coerentes com as funções dos espaços que servem.

            Mas especialmente o alçado do Largo dos Combatentes da Grande Guerra, desenhá-lo com base nas estruturas dos alçados adjacentes conferindo unidade ao mesmo tempo marcando a sua autonomia formal e temporal, procurando um equilíbrio que contribua para a construir um conjunto harmonioso, mas mantendo o protagonismo que a Capela dos Passos do Calvário deve ter nesta paisagem urbana.

            O edifício que albergará a habitação, organiza-se em três pisos, cada um adequando-se à sua localização:

            No Piso Zero, à cota do arruamento, está o átrio de entrada e a garagem. É contido na área de intervenção, evitando alterar demasiado a topografia e olhando à economia da construção.

            Do átrio de entrada sobe-se por um lanço de escadas até ao Piso Um. É neste nível que são implantadas as funções mais sociais da habitação, a uma cota que permite o contacto com um generoso logradouro de 200 m2. Neste nível está uma quarto polivalente voltado para o Largo e para as vistas de poente, assim como uma casa de banho acessível. Estão também a Cozinha e sala que se voltam para a jardim, procurando nele uma extensão visual e um prolongamento natural das suas funções.

            No piso superior estão localizam-se os espaços mais privados, uma suite com vistas para o vale do rio Cáster e dois quartos a nascente.